Cidadeverde.com
Diversidade

"Traidos pelo Desejo": pelos labirintos da sexualidade humana

O que se esconde por trás de um seqüestro promovido por um grupo terrorista (IRA) e as  relações enigmáticas que se desdobram a partir da amizade entre seqüestrador (Fergus) e seqüestrado (Jody)? Deste fio condutor inicial, o cineasta irlandês Neil Jordan – de ‘Entrevista com o Vampiro’ e  ‘Mona Lisa’ -  costura a trama que faz do filme “Traídos pelo desejo”(1992) um convite para viajar pelos labirintos insondáveis do desejo e sexualidade humana.

 

O guerrilheiro Fergus (Stephen Rea) terá o fardo - ou êxtase? - de ir à procura da namorada do soldado Jody (Forest Whitaker) para lhe comunicar sobre a morte deste. O guerrilheiro sofrerá uma tsunami  de atrações e desejos pela exuberante Dil, cabeleireira e ex-namorada de Jody. 

 

                

À medida que se instala um jogo sutil de sedução de   Dil  para Ferguson, este será instigado  a conhecer – e também você espectador – que os desejos não seguem uma linha reta como  canta Marina Lima: “o certo é incerto, o incerto é uma estrada reta/de vez em quando acerto, depois tropeço no meio da linha”.

 

A atuação de Jaye Davidson, como a personagem Dil, é de roubar a cena. A vivência da  transexualidade magnetizante da cabeleireira passa insuspeita ao longo da narrativa do filme até que...Enfim. Não há como ficar imune a  performance dest@ ator/atriz que, à época do filme, foi indicado ao Oscar de ‘Melhor Ator Coadjuvante”.

 

Se você ainda não teve a oportunidade de assistir à esta obra majestosa da criação cinematrográfica, então não perca tempo e veja  para  tirar suas conclusões. Aos que já a assistiram, uma releitura sempre traz novas perspetcivas de significação. Após a (re)leitura do filme talvez você possa concluir como o provérbio que diz “Antes  desejo do que fastio”.

Liga Brasileira de Lesbica reúne suas militantes em São Paulo

Militantes da Liga Brasileira de Lésbicas - LBL, de 03 regiões do Brasil, estão reunidas este final de semana em São Paulo. O objetivo do encontro é discutir questões de organização interna e estratégias de ação nos espaços de atuação da LBL.
O Piauí está representado por Marinalva Santana.

“Chá das quatro”: Discursos sobre as Homoafetividades

O Centro de Referência LGBT “Raimundo Pereira”, ligado à SASC (Secretaria da Assistência Social e Cidadania), desenvolve o projeto ‘CHÁ DAS QUATRO’ que acontece às quintas-feiras na sede da entidade.

 

O projeto visa ser um espaço para que a comunidade LGBT possa se reunir para debater temáticas do seu universo sociocultural bem como compartilhar suas experiências e fortalecer os laços de solidariedade.

 

Os debates tematizando  as homossexualidades  ocorrem em forma de roda de dialogo, utilizando-se  de dinâmicas de apresentação e  socialização de saberes através de um facilitador ou debatedor. Finalizado as discussões, os participantes servem-se com chás diversos, achocolatado, café e biscoitos.

 

A oferta de certificado é um dos pontos positivos do Projeto. Participação em 05 encontros com temáticas diferentes é o requisito para recebimento do documento. O Núcleo de Pesquisa em Direitos Humanos, Homossexualidade e Sociedade da UESPI (Universidade Estadual do Piauí) expedirá o certificado.

 

O ‘Chá das quatro’  já realizou três edições. As novas relações familiares constituídas a partir de cidadãos homossexuais foi o foco das duas primeiras edições. Na última, discutiu-se a efetividade da Lei nº 5.431 – estabelece sanções administrativa para atos discriminatórios por orientação sexual e identidade de gênero.

 

A Delegada Kátia Esteves, da Delegacia Especializada de Combate às Condutas Discriminatórias, foi uma das debatedoras que abordou o tema do último encontro. Diversas entidades LGBT’S participaram do evento.

 

A tod@s interessad@s em participar dos debates para promoção de uma democracia pautada no respeito às DIVERSIDADES dirija-se  ao Centro de Referência Raimundo Pereira localizado à AV. SANTOS DUMONT, Nº 150, VILA OPERÁRIA. TEL.: 3213-7086, E-mail: crh@sasc.pi.gov.br.

 

Mulheres usam menos camisinha nas relações anais do que gays, diz pesquisa

Pesquisa realizada pelo Departamento de Saúde de Nova York constatou que apenas 23% das mulheres heterossexuais exigem camisinha de seus parceiros na hora de fazer seno anal. Em contrapartida, 61% dos homens homossexuais e bissexuais usam preservativo na hora do ato anal.

 


Segundo o departamento, cerca de 100 mil mulheres de Nova York fazem sexo anal durante o ano. A pesquisa também revelou que as mulheres que fazem sexo anal estão menos propensas a realizar testes de HIV. Entre os homens gays, 63% disseram realizar constantemente o teste e, entre os homens que praticam bareback (o sexo anal sem preservativo), 35% disseram que fazem o exame regularmente.

 

As mulheres jovens são as que menos se protegem durante o sexo anal: 11% têm entre 18 e 24 anos. Entre as mulheres com idade de 45 a 62, 2% declararam usar camisinha nas relações anais. Segundo os cientistas, o resultado é preocupante, pois o risco de se contrair o vírus HIV pelo sexo anal é 30 vezes maior do que pelo vaginal.


Fonte: A Capa

Entrega do Prêmio Estadual de Direitos Humanos

O Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos (CEDDH) promoverá a entrega do Prêmio Estadual de Direitos Humanos dia 29/04 às 9 h no Cine Teatro da Assembléia Legislativa.

 

A Tenente Coronel Júlia Beatriz receberá o prêmio “Deputada Francisca Trindade” e a ASCAMTE (Associação de Cadeirante do Município de Teresina) o prêmio “Dom Avelar Brandão”.

 

Durante o evento ocorrerá a posse da nova Diretoria do CEDH para o biênio 2010/2011.

“Sou travesti: Tenho o Direito de ser quem Sou”

Este é o tema da campanha  realizada pelo Ministério da Saúde e apoio da Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH) a ser lançada hoje(27/04), em Brasília,  durante o ‘1º Seminário Nacional de Gestores e Trabalhadores na Promoção dos Direitos LGBT’.


Desconstruir preconceitos, promover a valorização e respeito da Dignidade Humana  de Travestis e difundir    informações de prevenção em DST/AIDS estão entre os objetivos da campanha.



Campanhas como estas contribuem para combater  situações de transfobia – discriminações e violências contra travestis, transexuais e transgêneros – responsável  pela  negação de Direitos Fundamentais  da pessoa humana e  que resulta em exclusão social, política e econômica do segmento trans.

Caso USP: Polícia Civil abre inquérito para identificar autor de texto contra gays

Depois de alunos da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP publicarem em um jornal oferecendo um convite a uma "festa brega" aos estudantes do curso que, em troca, jogarem fezes em um gay, a Polícia Civil de São Paulo vai instaurar nesta segunda-feira um inquérito para apurar quem são os verdadeiros responsáveis pela publicação.

 

Denominado "O Parasita", o jornal incita a homofobia e a violência aos homossexuais ao lançar o desafio "jogue merda em um viado", dando como prêmio "um convite de luxo para a Festa Brega 2010".

 

Após a repercussão do caso, o jornal "O Parasita" pediu desculpas pela internet e considerou o texto, assinado com um pseudônimo, como "exagero cometido na última edição", afirmando que o jornal é feito de humor.

 

Para o presidente do Centro Acadêmico, Marclo Akutagawa, o acontecimento prejudicou a imagem da faculdade. "As entidades estudantis são totalmente contra. Agora a imagem da faculdade está manchada, e isso por um grupo reduzido de alunos", afirmou ao "G1".

 

De acordo com a defensora pública Maíra Coraci Diniz, deve-se se identificar o responsável pelo texto e penalizá-lo com uma multa. "Não é uma brincadeira. Os termos incitam a violência contra a população homossexual."

 

Veja abaixo o texto homofóbico do jornal na íntegra:

 

"Lançe-merdas e Brega será na Faixa - Ultimamente nossa gloriosa faculdade vem sendo palco de cenas totalmente inadmissíveis. Ano passado, tivemos o famoso episódio em que 2 viadinhos trocaram beijos em uma festa no porão de med. Como se já não bastasse, um deles trajava uma camiseta da Atlética. Porra, manchar o nome de uma instituição da nossa faculdade em teritório dos medicus não pode ser tolerado. Na última festa dos bixos, os mesmos viadinhos citados acima, aprontaram uma pior ainda. Os seres se trancaram em uma cabine do banheiro, enquanto se ouviam dizeres do tipo "Aí, tira a mão daí." Se as coisas continuarem assim, nossa faculdade vai virar uma ECA. Para retornar a ordem na nossa querida Farmácia, O Parasita lança um desafio, jogue merda em um viado, que você receberá, totalmente grátis, um convite de luxo para a Festa Brega 2010. Contamos com a colaboração de todos. Joãozinho Zé-Ruela", escreve "O Parasita".


Fonte: A Capa

Gestores e Sociedade Civil discutirão Políticas Públicas LGBT em Brasília

Acontece de 27 a 30 de abril em Brasília o “I Seminário Nacional de Gestores e Trabalhadores no Combate a Homofobia” promovido pela Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH). O evento reunirá gestores e gestoras das esferas federal, distrital, estadual e municipal.

O Seminário envolvendo governo e sociedade civil será um momento de fazer um balanço das Políticas Públicas existentes e definir prioridades de ações para serem executadas para o segmento LGBT no país.


Marinalva Santana, militante do Matizes e   da Liga Brasileira de Lésbicas (LBL),  participará do evento como representante da LBL numa mesa que discutirá o tema “Articulação, ação e desafios da Redes LGBT no Brasil”.


“Enquanto sociedade organizada na defesa dos Direitos Humanos LGBT temos o desafio  de manter um dialogo propositivo com o poder público sem perder  autonomia, ética e liberdade crítica para monitorar e cobrar  as políticas públicas bem como denunciar o descaso e omissão de gestores com estas políticas”, avalia Marinalva.


O Programa Brasil sem Homofobia lançado pela SEDH, em 2004, foi uma das iniciativas pioneira para definição de ações governamentais no âmbito federal. O objetivo do programa era promover a cidadania LGBT “a partir da equiparação de direitos e do combate à violência e à discriminação homofóbica”.


Um outro documento importante para proposição de Políticas Públicas é o Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos LGBT. Resultado da parceria entre governo e movimento homossexual, o plano prevê ações do Governo Federal nas áreas de educação, cultura, segurança pública, Direitos Humanos, saúde, justiça, emprego e renda entre outras.

Em Teresina, Luiz Mott ministrará palestra sobre homofobia

O Prof. Drº Luiz Mott, decano do Movimento Homossexual Brasileiro, debaterá hoje (23/04) o tema “Homofobia – abordagem sociológica e identitária”,  no Auditório do CCHL (Centro de Ciências Humanas e Letras), a partir das 19 h.

 

Luiz Mott tem oferecido grandes contribuições para os estudos sobre Homossexualidade no Brasil, além de ser um fervoroso ativista na defesa dos Direitos Humanos LGBT. Fundou o Grupo Gay da Bahia, uma das primeiras entidades na luta pela cidadania dos homossexuais no país.

 


 

 O  XXVIII Encontro dos Estudante de Direito cujo o tema é “O Direito entre a razão e a sensibilidade” também promoverá dia 24/04 o painel “Os Lírios não nascem das leis”, que destacará dois enfoques: ‘Compreensão do Direito para além das leis’ e ‘Perfil e Habilidade do jurista: razão e sensibilidade’. A atividade ocorrerá no CCHL às 14 h.

Posts anteriores